Curitiba, Paraná

contato@claudiavassao.com.br

Minha História

A história começa...

Com um chamado para mudanças

Foi no ano de 2004 que, buscando ajuda para mim, descobri um novo universo. A minha porta de entrada para o mundo das terapias e da ajuda foi o Reiki.

Na época eu tinha crises de enxaqueca, estava recém separada do pai dos meus dois filhos, que estavam com 4 e 2 anos. Profissionalmente vivia uma instabilidade que me angustiava, mesmo gostando muito do que eu fazia.

Mas a voz dentro de mim era clara: ela me dizia que eu não tinha outra saída a não ser olhar para mim, para a vida que eu estava vivendo e ter a coragem de abandonar aquela minha versão e começar a criar uma nova e isso era urgente.

Depois de dois anos me curando e me reinventando, eu passei em um concurso e tinha finalmente um excelente emprego, estável, em uma autarquia do estado. E lá estava eu em uma nova área, vivendo uma grande mudança de carreira: após 18 anos na área de informática, eu estava agora na área de recursos humanos, que era um sonho antigo meu, desde que me formei em Administração de Empresas.

Eu organizava, em paralelo ao meu trabalho, grupos de Reiki e meditações ativas e isso era a atividade que mais me dava satisfação.

Quem conhece o seu valor, não tem preço...

Enquanto eu pensava que tudo estava encaminhado e que era só seguir, mais uma crise emergiu: passei a sofrer assédio moral por um dos meus superiores no trabalho quando não concordei com seu comportamento antiético em várias situações envolvendo colegas de trabalho que estavam sendo prejudicados por ele, então, fui enviada para outra instituição e como “prêmio consolação” tive a oportunidade de começar um mestrado acadêmico na área de Organizações e Sustentabilidade. Mais uma vez vi minha vida dar um giro completo!

Porém, desta vez eu estava mais madura, mais estável e já podia aproveitar de uma maneira mais inteligente tudo o que se apresentava para mim.

Missão de vida...

Coragem de abandonar a segurança para viver a vocação

Foi em 2008, dentro do mestrado, que pela primeira vez eu vi um vídeo de Constelação Organizacional de Bert Hellinger. Eu estava estudando sobre visão sistêmica, pensamento complexo, sociedade de risco, globalização e a Constelação Familiar conversa claramente com tudo isso. Foi um caminho inevitável para mim, simplesmente assim. Busquei grupos de Constelação Familiar em Curitiba e logo entrei no curso de formação de Peter e Tsuyuko Spelter.

Em 2010 eu já era consteladora formada e atuante. No ano seguinte, 2011, saí do emprego estável com um alto salário porque entendi que o que realmente me fazia feliz era aprender, praticar e ensinar a Filosofia da Constelação Familiar. Neste mesmo ano, fui convidada a conhecer Constelação com Cavalos com Paulo Neumann com quem eu trabalhei por dois anos.

Em 2012 fui à Alemanha fazer a formação avançada com Bert Hellinger, outro marco profundo na minha atuação com as Constelações, pois lá eu descobri as Novas Constelações Familiares que só vieram reforçar o que eu estava vivenciando com os cavalos.

Em 2013 criei meu primeiro programa formação em Constelação e ministrei aulas para a minha primeira turma de Formação em Constelação Familiar e Organizacional. O curso foi crescendo ao longo dos anos e em 2018 cheguei a ter 5 turmas em estados diferentes do Brasil além das turmas que eu já conduzia na África do Sul.

De 2014 a 2016 eu segui buscando modelos e treinamentos de terapias assistidas por equinos, fui para outros países participar de cursos, realizei atendimentos e grupos até que finalmente eu entendi que eu precisava criar meu próprio método de terapia e aprendizagem com cavalos sob a perspectiva sistêmica e então nasceu o Omega-TAC.

Estar em sintonia...

O fluxo da vida nos leva para nosso lugar

No ano seguinte, 2017, fui desafiada pelos meus alunos da formação em Constelação Familiar: levar um grupo para conhecer e ter as experiências que eu tive na África do Sul.

Como eu adoro ser desafiada, organizei minha primeira Viagem Guiada. Foram duas semanas conduzindo um grupo de onze pessoas por Joanesburgo e Cidade do Cabo em fevereiro de 2018.

Conhecendo a espiritualidade e os costumes, ritos e lugares sagrados. Participando de vivências, iniciações, conexões para a vida. Construímos, cada um, um tambor. Dançamos, brindamos, rimos e choramos. Vimos babuínos, pinguins, girafas, elefantes, zebras e muito mais.

Tão forte e intenso foi também com o segundo grupo, em 2020, que marcou o fim da vida que conhecíamos antes da pandemia, pois ao desembarcamos no Brasil em março, já entramos na quarentena e então tudo mudou.

O terceiro grupo agora é um projeto que está em meu coração, segue vivo aguardando o momento certo de acontecer e de mais uma vez aterrissar na África.

Me sinto profundamente conectada àquela terra que chamamos de berço da humanidade e por isso tão privilegiada, tão honrada por poder proporcionar aos brasileiros conhecerem um pouco da espiritualidade daquele povo, lugares sagrados e místicos, como eu conheci, e voltar de lá trazendo recordações para a vida toda.

De 2016 a 2020 eu fui nove vezes para lá. Me sinto como uma ponte unindo o trabalho sistêmico entre Brasil e África do Sul, criando conexões entre pessoas, compartilhando experiências, proporcionando descobertas. Quando estamos conectados ao fluxo de vida, não precisamos correr atrás de nada, aquilo que nos aguardava, simplesmente se apresenta no momento certo!

Continue lendo a minha história Fechar

Um novo chamado...

Quando queremos nos acomodar na zona de conforto

E lá veio a vida chacoalhando tudo de novo. Eu sei que eu não paro, que gosto de coisas novas e desafiadoras e foi por isso aceitei participar de um projeto diferente do que vinha fazendo.

Sem perceber, esta decisão me levou para outras direções e eu comecei, de certa maneira, a desconstruir o que vinha fazendo na última década para me abrir para uma nova fase, com um novo olhar e uma nova postura profissional.

Nessa desconstrução, parei de dar cursos de formação em Constelação Familiar e foquei na busca de novas maneiras de ensinar pessoas, seja no atendimento terapêutico, seja nos workshops que ministro ou quem cursos de extensão para terapeutas.

Em meio à essa revolução pessoal nasceu o projeto de trazer livros que nunca foram publicados no Brasil ou que deixaram de ser e mereciam voltar à vida, assim eu criei a Koi Editora e republiquei o livro Cães sabem quando seus donos estão chegando, de Rupert Sheldrake.

No final de 2021 eu tinha então uma nova versão da Claudia Vassão, seguindo solo na atuação profissional, deixando o Instituto Luz do Ser aos cuidados da Eliane Kuhn e este site – claudiavassao.com.br – marca essa nova fase da minha vida, muito mais madura e experiente, mas ainda focada e apaixonada pela visão sistêmica, talvez mais do que nunca!

A história começa...

Com um chamado para mudanças

Foi no ano de 2004 que, buscando ajuda para mim, descobri um novo universo. A minha porta de entrada para o mundo das terapias e da ajuda foi o Reiki.

Na época eu tinha crises de enxaqueca, estava recém separada do pai dos meus dois filhos, que estavam com 4 e 2 anos. Profissionalmente vivia uma instabilidade que me angustiava, mesmo gostando muito do que eu fazia.

Mas a voz dentro de mim era clara: ela me dizia que eu não tinha outra saída a não ser olhar para mim, para a vida que eu estava vivendo e ter a coragem de abandonar aquela minha versão e começar a criar uma nova e isso era urgente.

Depois de dois anos me curando e me reinventando, eu passei em um concurso e tinha finalmente um excelente emprego, estável, em uma autarquia do estado. E lá estava eu em uma nova área, vivendo uma grande mudança de carreira: após 18 anos na área de informática, eu estava agora na área de recursos humanos, que era um sonho antigo meu, desde que me formei em Administração de Empresas.

Eu organizava, em paralelo ao meu trabalho, grupos de Reiki e meditações ativas e isso era a atividade que mais me dava satisfação.

Quem conhece o seu valor, não tem preço...

Enquanto eu pensava que tudo estava encaminhado e que era só seguir, mais uma crise emergiu: passei a sofrer assédio moral por um dos meus superiores no trabalho quando não concordei com seu comportamento antiético em várias situações envolvendo colegas de trabalho que estavam sendo prejudicados por ele, então, fui enviada para outra instituição e como “prêmio consolação” tive a oportunidade de começar um mestrado acadêmico na área de Organizações e Sustentabilidade. Mais uma vez vi minha vida dar um giro completo!

Porém, desta vez eu estava mais madura, mais estável e já podia aproveitar de uma maneira mais inteligente tudo o que se apresentava para mim.

Missão de vida...

Coragem de abandonar a segurança para viver a vocação

Foi em 2008, dentro do mestrado, que pela primeira vez eu vi um vídeo de Constelação Organizacional de Bert Hellinger. Eu estava estudando sobre visão sistêmica, pensamento complexo, sociedade de risco, globalização e a Constelação Familiar conversa claramente com tudo isso. Foi um caminho inevitável para mim, simplesmente assim. Busquei grupos de Constelação Familiar em Curitiba e logo entrei no curso de formação de Peter e Tsuyuko Spelter.

Em 2010 eu já era consteladora formada e atuante. No ano seguinte, 2011, saí do emprego estável com um alto salário porque entendi que o que realmente me fazia feliz era aprender, praticar e ensinar a Filosofia da Constelação Familiar. Neste mesmo ano, fui convidada a conhecer Constelação com Cavalos com Paulo Neumann com quem eu trabalhei por dois anos.

Em 2012 fui à Alemanha fazer a formação avançada com Bert Hellinger, outro marco profundo na minha atuação com as Constelações, pois lá eu descobri as Novas Constelações Familiares que só vieram reforçar o que eu estava vivenciando com os cavalos.

Em 2013 criei meu primeiro programa formação em Constelação e ministrei aulas para a minha primeira turma de Formação em Constelação Familiar e Organizacional. O curso foi crescendo ao longo dos anos e em 2018 cheguei a ter 5 turmas em estados diferentes do Brasil além das turmas que eu já conduzia na África do Sul.

De 2014 a 2016 eu segui buscando modelos e treinamentos de terapias assistidas por equinos, fui para outros países participar de cursos, realizei atendimentos e grupos até que finalmente eu entendi que eu precisava criar meu próprio método de terapia e aprendizagem com cavalos sob a perspectiva sistêmica e então nasceu o Omega-TAC.

Estar em sintonia...

O fluxo da vida nos leva para nosso lugar

No ano seguinte, 2017, fui desafiada pelos meus alunos da formação em Constelação Familiar: levar um grupo para conhecer e ter as experiências que eu tive na África do Sul.

Como eu adoro ser desafiada, organizei minha primeira Viagem Guiada. Foram duas semanas conduzindo um grupo de onze pessoas por Joanesburgo e Cidade do Cabo em fevereiro de 2018.

Conhecendo a espiritualidade e os costumes, ritos e lugares sagrados. Participando de vivências, iniciações, conexões para a vida. Construímos, cada um, um tambor. Dançamos, brindamos, rimos e choramos. Vimos babuínos, pinguins, girafas, elefantes, zebras e muito mais.

Tão forte e intenso foi também com o segundo grupo, em 2020, que marcou o fim da vida que conhecíamos antes da pandemia, pois ao desembarcamos no Brasil em março, já entramos na quarentena e então tudo mudou.

O terceiro grupo agora é um projeto que está em meu coração, segue vivo aguardando o momento certo de acontecer e de mais uma vez aterrissar na África.

Me sinto profundamente conectada àquela terra que chamamos de berço da humanidade e por isso tão privilegiada, tão honrada por poder proporcionar aos brasileiros conhecerem um pouco da espiritualidade daquele povo, lugares sagrados e místicos, como eu conheci, e voltar de lá trazendo recordações para a vida toda.

De 2016 a 2020 eu fui nove vezes para lá. Me sinto como uma ponte unindo o trabalho sistêmico entre Brasil e África do Sul, criando conexões entre pessoas, compartilhando experiências, proporcionando descobertas. Quando estamos conectados ao fluxo de vida, não precisamos correr atrás de nada, aquilo que nos aguardava, simplesmente se apresenta no momento certo!

Continue lendo a minha história Fechar

Um novo chamado...

Quando queremos nos acomodar na zona de conforto

E lá veio a vida chacoalhando tudo de novo. Eu sei que eu não paro, que gosto de coisas novas e desafiadoras e foi por isso aceitei participar de um projeto diferente do que vinha fazendo.

Sem perceber, esta decisão me levou para outras direções e eu comecei, de certa maneira, a desconstruir o que vinha fazendo na última década para me abrir para uma nova fase, com um novo olhar e uma nova postura profissional.

Nessa desconstrução, parei de dar cursos de formação em Constelação Familiar e foquei na busca de novas maneiras de ensinar pessoas, seja no atendimento terapêutico, seja nos workshops que ministro ou quem cursos de extensão para terapeutas.

Em meio à essa revolução pessoal nasceu o projeto de trazer livros que nunca foram publicados no Brasil ou que deixaram de ser e mereciam voltar à vida, assim eu criei a Koi Editora e republiquei o livro Cães sabem quando seus donos estão chegando, de Rupert Sheldrake.

No final de 2021 eu tinha então uma nova versão da Claudia Vassão, seguindo solo na atuação profissional, deixando o Instituto Luz do Ser aos cuidados da Eliane Kuhn e este site – claudiavassao.com.br – marca essa nova fase da minha vida, muito mais madura e experiente, mas ainda focada e apaixonada pela visão sistêmica, talvez mais do que nunca!

Histórias de sucesso...

Minha formação

Claudia Vassão
no Instagram

Receba uma dose semanal de motivação, direto no seu e-mail.

Assine minha Newsletter, não enviaremos spam. Promessa!

Você poderá se descadastrar quando desejar.

Você já se registrou em nosso site? Entre com seus dados aqui: